terça-feira, 25 de novembro de 2014

Hospital das Clínicas participa de arrecadação para “Brechó de Natal”

Cássia Veras (Assessoria HC)



Oito caixas de coleta foram distribuídas nos espaços do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco para arrecadação de roupas, calçados, acessórios, livros, móveis e objetos de decoração. A ação “Brechó de Natal Acre Solidário e Amigas” tem por objetivo reunir artigos em condições de revenda para a realização do brechó entre os dias 5 e 7 de dezembro em frente a Polícia Militar (PM).

2-A ação “Brechó de Natal Acre Solidário e Amigas” tem por objetivo reunir artigos em condições de revenda para a realização do brechó (Foto: Cedida) O Brechó de Natal, iniciativa do “Acre Solidário”, coordenado pela primeira-dama Marlúcia Cândida, juntamente com a Central de Apoio a Entidades de Saúde (Cades) vai beneficiar 35 entidades como comunidades terapêuticas (álcool e drogas), de pessoas com necessidades especiais e casas de passagem para pacientes em Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

“A ideia é que possamos ajudar tanto as pessoas que estão nessas entidades, quanto às pessoas que não têm um alto poder aquisitivo a garantir peças boas e de qualidade. Ajudar é um dever de todo o cidadão e nossa ação é para sensibilizá-los”, disse a assessora da Cades, Verônica Loureiro.

Para engenheira agronômica, Rosangela Alves, coordenadora do “Arte Sólida”, departamento responsável pela arrecadação no HC, o projeto é importante e tem que ser ampliado. “Nós queremos colaborar e a gente que é referência no HC, pois já trabalhamos com a ajuda ao próximo, ficamos gratificados em poder participar dessa ação”, declarou.

As caixas de arrecadação, que ficarão distribuídas até o dia 28, estão localizadas no refeitório, nefrologia, Serviço de Atendimento Especializado (SAE), Hospital do Câncer, Hospital do Idoso, administração, acolhimento e no Serviço de Atendimento Médico Especializado (Same).

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Sesacre reúne servidores em reunião sobre registro de produção

Cássia Veras (Assessoria HC)

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), por meio do Departamento de Regulação, Controle, Avaliação e Auditoria (DRCAA), realizou nesta sexta-feira, 21, reunião sobre “Registro da Produção Assistencial” com os profissionais que atuam no Hospital do Câncer, em Rio Branco.
O objetivo é aperfeiçoar o servidor para a forma adequada de registro de todos os procedimentos que são feitos em pacientes (Foto: Cássia Veras)
Objetivo é aperfeiçoar o servidor para a forma adequada de registro de todos os procedimentos que são feitos em pacientes (Foto: Cássia Veras)
O objetivo é aperfeiçoar o servidor para a forma adequada de registro de todos os procedimentos que são feitos em pacientes, desde um curativo até uma radioterapia, por exemplo.
“O Sistema Único de Saúde (SUS) possui sistemas de informações pelas quais cada procedimento realizado tem que constar nessa plataforma. O que às vezes acontece é o registro inadequado ou o não fornecimento dessas informações”, esclareceu a técnica do DRCAA, Vanuza Souza.
Ela explicou, ainda, que a falta dessas informações acarreta vários problemas, o que dificulta o funcionamento da unidade. “O estado recebe do Ministério da Saúde verba para determinado número de atendimentos, mas se não for informado de forma adequada, ou se não houver registros dos procedimentos, o sistema não contabilizará, de forma que o Estado fica impossibilitado de comprovar no que está sendo usada essa verba”, disse.
Para o superintendente do HC, Carlos Eduardo Alves, a reunião contribuiu para a otimização do funcionamento do hospital. “Ninguém administra uma unidade sozinho. Precisamos do apoio de cada um em sua área, seja na área assistencial, seja na administrativa. Isso reflete um interesse de que as coisas precisam sempre ser aprimoradas”, declarou.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Pé diabético do HC atende pacientes também de outros países

Cássia Veras (Assessoria HC)

O ambulatório de Pé Diabético do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco é referência no tratamento da doença entre os estados e países que fazem fronteira com o Acre. Dentre eles estão Rondônia, Amazonas, Peru e Bolívia. Cerca de mil atendimentos são realizados por mês.

Pé Diabético realiza mil atendimentos por mês (Foto: Assessoria Sesacre)O setor foi criado em 2001 com o intuito de atender pacientes portadores de diabetes mellitus, que ocorre quando uma área machucada ou infeccionada nos pés desenvolve uma úlcera (ferida). “Para nós é um ganho que o ambulatório do Pé Diabético seja um referencial, pois reflete o esforço da nossa gestão, além de dar uma boa representatividade ao HC e ao governo do Estado”, conta a enfermeira assistencial do Pé Diabético, Ana Cláudia França.

“Hoje, não atendemos apenas pacientes portadores da diabete mellitus, mas também pacientes com úlceras motivadas por outras doenças. Já tratamos de doenças que não conseguiram tratar em nenhum outro lugar, só aqui. Já recuperamos lesões de até 35 anos. Isso acontece pela seriedade e respeito com que realizamos nosso trabalho”, relata Ana.

Curativos, tratamentos com medicamentos, teste de glicemia e teste de sensibilidade são alguns dos atendimentos que o setor oferece. “A medicina ainda não descobriu a cura para o diabetes, consequentemente, para as ramificações da doença também não. Mas há três anos adquirimos um novo tipo de curativo, que o paciente pode ficar até sete dias sem trocar. Essa mudança otimizou o tratamento e temos tido mais eficácia no combate das úlceras”, comemora a enfermeira.