quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Um mês após cirurgia bariátrica, paciente recupera saúde

Agência de Notícias do Acre

Com 26 anos, Weverton Carlos de Alcantra, chegou a pesar 156 quilos. O estudante de medicina conta que desde a infância apresentava sinais de obesidade, mas na adolescência o problema aumentou consideravelmente.
“Eu era uma criança obesa sim, mas não era a obesidade mórbida ainda. À medida que eu fui crescendo fui engordando, e meu peso aumentou ainda mais quando fui estudar em La Paz, há quatro anos. Eu engordei quase 40 quilos”, revelou.
Com 80 quilos acima do ideal para seu tamanho e idade, Weverton, desenvolveu problemas cardíacos e hipertensão. Ele relata que não conseguia caminhar, dormir ou fazer qualquer tipo de esforço físico.
“Chegou a um ponto que eu não conseguia dormir com falta de ar. E fiquei sabendo de várias pessoas que devido ao aumento da pressão e por estarmos em uma cidade alta, chegaram até a ter derrames. Isso me deu muito medo”, lembrou.
Foi em julho do ano passado que Weverton e a família decidiram que o caso dele necessitava de ajuda médica, urgente. De volta ao Acre, ele procurou o Programa de Obesidade e Qualidade de Vida do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco. Atendido por uma equipe multidisciplinar, ele iniciou um tratamento que durou cinco meses, antes da cirurgia. Durante o tratamento Weverton perdeu 12 quilos, com reeducação alimentar e a prática de algumas atividades físicas.
Dia 10 de dezembro de 2014 ele foi submetido à cirurgia bariátrica, que reduz o estômago, e um mês após, já conseguiu eliminar mais 13 quilos, totalizando 25 quilos a menos desde que conheceu o programa.
Cirurgia foi realizado no Hospital da Clínicas (Foto: Luciano Pontes/Secom)
“A obesidade é a enfermidade do século. Ela causa várias outras doenças que pode levar até a morte. O governo do Estado nos oferece esse serviço que eu chamo de Pronto Socorro dos Obesos, pois ele salva as nossas vidas. Procurem esse programa e tenha a saúde de vocês de volta”, alertou.
Programa Estadual de Obesidade e Qualidade de Vida
Somente em 2014 o programa atendeu mais de nove mil pessoas. Esses pacientes participam de palestras educativas que têm o objetivo de trabalhar a dificuldade deles e da família, em lidar com a obesidade.
Além das palestras o programa oferece o tratamento da obesidade e conta com os serviços de psiquiatra, psicólogo, nutricionista, cardiologista, endocrinologista, cirurgião geral, cirurgião do aparelho digestivo, educador físico e fisioterapeuta.
Para participar basta comparecer aos encontros dos grupos do programa, que são realizados as quartas- feiras, às 9h e às 19h, aos sábados, às 9h e às 13h30, no auditório do Hospital das Clínicas. É necessário que o paciente leve algum documento de identificação e o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).
Depois da cirurgia o estudante já voltou a praticar atividades físicas (Foto: Diego Gurgel/Secom)

HC realiza mutirão de cirurgias ortopédicas neste sábado

Diego Tenutti (Assessoria Sesacre)

Bastou um ouriço de castanha atingir o braço do produtor rural Edilson Nascimento, 55 anos, para que ele tivesse de parar o trabalho e entrar em um longo período de recuperação. “Eu estava coletando castanha, quando um ouriço caiu da árvore e bateu no meu braço”, contou. A fratura ocorreu próxima ao punho.
“Se esse ouriço tivesse caído na minha cabeça, hoje eu não estaria aqui contando essa história. Agora é cuidar da recuperação para voltar logo ao trabalho”, ressaltou Edilson, ao falar sobre os cuidados que todo produtor rural deve ter na hora de fazer a coleta da castanha, no meio da floresta.
Três dias depois do acidente, Edilson já estava passando pela cirurgia ortopédica no braço, durante um mutirão realizado pelo Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco, neste sábado, 17. “Essa é a primeira cirurgia da minha vida. Espero que seja a última”, finalizou a conversa, ao garantir que vai tomar mais cuidado quando voltar ao trabalho, na zona rural de Capixaba, a cerca de 70 quilômetros da capital acreana.
Além de Edilson, outros oito pacientes também passaram por cirurgias ortopédicas no HC – acidentes de moto são a maioria dos casos. O monitor de escola Aldecino Lima passou por uma cirurgia no tornozelo. “Eu escorreguei com a moto na vala da estrada, e ela caiu por cima do meu pé”, relembrou.
O monitor de escola Aldecino Lima quebrou o tornozelo em um acidente de moto (Foto: Luciano Pontes/Secom)
O mutirão deste fim de semana foi realizado para desafogar a demanda por cirurgias ortopédicas de pacientes que deram entrada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), principalmente vítimas de acidentes de trânsito, nos últimos sete dias.
“Nós estamos realizando ações como este mutirão,por exemplo, para reduzir o tempo de espera dos pacientes, para que não tenhamos filas de espera por cirurgias. Por isso, os esforços do governo do Estado e das equipes de saúde, entre médicos e enfermeiros, por exemplo, são empenhados com muita intensidade”, disse o secretário de Estado de Saúde, Armando Melo.
Além dos mutirões realizados nos fins de semana, a saúde estadual realiza cerca de 300 cirurgias ortopédicas por mês, somente em Rio Branco. “A demanda por cirurgias de pacientes de vítimas de acidentes de trânsito é muito grande. Por isso, faço um apelo para que a população tenha mais prudência ao dirigir um carro ou pilotar um moto”, finalizou o secretário.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Armando Melo visita Hospital das Clínicas de Rio Branco

Diego Tenutti (Assessoria Sesacre)

“O HC [Hospital das Clínicas de Rio Branco] vai apresentar um diagnóstico da atual situação e, a partir disso, vamos tomar algumas decisões para avançar nos serviços, melhorar pontos, corrigir equívocos e continuar avançando nesse processo de melhoria dos serviços de saúde”, disse o secretário de Estado de Saúde (Sesacre), Armando Melo, durante visita ao HC, na tarde de quarta-feira, 14.

Foto: Luciano Pontes (Secom) 
Acompanhado do secretário adjunto de Planejamento e Gestão, Irailton Lima, e da superintendente do HC, Juliana Quinteiro, Melo visitou todos os setores do HC, que compreende a Fundação Hospital do Acre (Fundhacre), Hospital do Idoso, Hospital do Câncer e setor de Nefrologia, por exemplo.

Conversando com pacientes e funcionários, o secretário de Saúde conheceu de perto alguns setores, como de acolhimento de pacientes, consultórios médicos, enfermarias, unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e Centro Cirúrgico.

“Estaremos em contato com o HC, fazendo uma gestão compartilhada, porque todos os problemas do HC são os problemas da Sesacre também – vamos resolver juntos”, completou Melo.

Segundo o secretário adjunto, Irailton Lima, haverá uma maior integração do HC com a política de saúde pública do governo do Estado. “Com a nova equipe de direção, o trabalho vai se intensificar de modo que a população vai receber um HC ainda mais resolutivo, dando respostas às necessidades de saúde dos pacientes”, ressaltou.

A nova superintendente do HC, Juliana Quinteiro, é enfermeira renomada na área profissional, com mais de 23 anos de serviço prestado à saúde pública do Acre. “O HC tem 37 setores, subsetores e programas. Neste início de gestão, estamos resolvendo as prioridades, ao mesmo tempo que estamos construindo um projeto para expansão do serviço e ampliação de alguns setores”, garantiu.